Rinoplastia

A rinoplastia é a cirurgia nasal destinada a corrigir os defeitos externos do nariz ou harmonizar a forma e tamanho do mesmo aos demais elementos da face (olhos, fronte, boca, queixo), buscando sempre um “aspecto natural”, ou seja, proporcional, evitando o indesejado “nariz de plástica”.
Mais conhecida como uma cirurgia estética, deve obrigatoriamente ser realizada por profissional especializado para que se alcance um bom resultado, juntamente com correção e harmonização da função nasal (respiração, aquecimento, filtração e umidificação do ar inalado e até ressonância da voz e olfato). A indicação para rinoplastia parte, geralmente, de insatisfação do indivíduo com a aparência externa de seu nariz, a qual na maioria das vezes está associada a problemas na função nasal (obstrução, dor de cabeça, sangramento…). Porém, em alguns casos, a cirurgia pode ser indicada pelo médico como opção funcional para melhor correção do nariz. Em qualquer dessas hipóteses, a realização da cirurgia vai sempre depender da avaliação médica criteriosa e discussão com o paciente para que ambos estejam de acordo.

Preparação

Antes da cirurgia devem sempre ser realizadas fotos do paciente – no mínimo em 3 posições básicas que são: frontal, perfil e base nasal – que serão anexadas ao prontuário médico como parte da documentação pré-operatória. Estas fotos podem e devem ser utilizadas durante a consulta para que o paciente aponte os defeitos, faça todos os questionamentos que desejar e para que o médico faça e explique o planejamento da cirurgia. Este procedimento facilita ao médico reconhecer as pretensões e expectativas do paciente com a cirurgia e adequar às reais metas da rinoplastia. Ao mesmo tempo facilita ao paciente visualizar as alterações de sua face do ponto de vista do cirurgião, além de terminar de esclarecer suas dúvidas.
O paciente deve estar ciente se no seu caso existirem fatores limitantes a um certo resultado. Estes fatores são constitucionais das pessoas e, muitas vezes, dificultam ou impedem que se alcance algumas metas como: afilamento nasal (em especial da ponta) quando a pele em questão é muito espessa; correção completa da laterorrinia (nariz torto) em casos onde há assimetria (diferença entre as duas metades da face) muito acentuada, entre outros.
Os exames complementares a serem realizados no pré-operatório são basicamente um hemograma completo, um coagulograma e tomografia dos seios da face. Demais exames ou avaliação por outros especialistas podem ser necessários em alguns casos. Esta análise será realizada pelo cirurgião durante as consultas que precedem a cirurgia – dependendo dos sintomas, das condições clínicas, antecedentes de doenças, cirurgias ou hábitos de cada paciente.

Otorrino Curitiba | Otorrinolaringologista em Curitiba | Rinoplastia | Cirurgia Plástica Nasal

 

A cirurgia

A cirurgia poderá ser realizada sob anestesia geral, durante a qual o paciente permanece totalmente inconsciente e respira com auxílio de um tubo traqueal conectado a um respirador mecânico ou sob anestesia local associada à sedação. Neste caso, o paciente permanece parcialmente consciente, respira espontaneamente e pode ouvir e se lembrar de alguns passos da cirurgia. Em nenhum dos casos o paciente sentirá dor!
A técnica cirúrgica utilizada pode variar de acordo com o caso de cada paciente e preferência do cirurgião. Normalmente, não há cicatrizes visíveis na pele, mas em alguns casos (o paciente será avisado com antecedência) pode ser necessária a redução da asa do nariz, ou abertura externa do mesmo, deixando respectivamente um pequena cicatriz na região da asa e da columela nasal que com o tempo se tornam imperceptíveis.
Durante toda rinoplastia serão manuseados tecidos do nariz (pele, osso, cartilagens, vasos sanguíneos e ossos) que invariavelmente vão resultar em pequenas hemorragias, inchaço e hematomas na pele do nariz e pálpebras. Este processo pode ocorrer em maior ou menor intensidade de acordo com o organismo de cada paciente. Nos primeiros dois dias estes sinais serão bastante acentuados, e devem ser realizadas compressas geladas sobre os olhos e nariz. A respiração estará bastante comprometida nesta fase.

Resultado final

O inchaço vai regredir e a maioria dos pacientes estará com aparência satisfatória até o 14° dia, quando também já são notáveis as principais mudanças. Entretanto, o nariz ainda estará inchado, pois o processo de recuperação é gradual, sendo notável a diminuição do nariz mês a mês, até aproximadamente o primeiro ano, quando podemos avaliar quase todos os detalhes da rinoplastia. O cirurgião deverá acompanhar estas mudanças em consultas pós operatórias, em frequência estipulada caso a caso.
Na estatística mundial, considerando cirurgiões experientes e qualificados, há aproximadamente 15% de retoques, ou seja, uma segunda cirurgia de menor proporção que a primeira, para ajuste de algum detalhe importante (muitas vezes detectado só pelo cirurgião). Quando isto ocorrer será proposto ao paciente uma cirurgia de revisão.